Tomate indústria | Culturas | ADP Fertilizantes

Tomate indústria

 

Tomate indústria

Dados Culturais

Ciclo cultural Planta anual de ciclo cultural de 90 a 120 dias.
Sistema radicular Superficial, com 70% das raízes localizadas nos primeiros 20 cm de solo.
Temperaturas Para a germinação das sementes a temperatura do solo deve ser superior a 15 ºC. Na fase vegetativa as temperaturas deverão estar entre os 10 e os 30ºC, sendo o óptimo diurno para a polinização de 20-25 ºC. Paragem do desenvolvimento vegetativo abaixo dos 10 ºC e acima dos 30 ºC. Escaldão dos frutos acima dos 36 ºC.
Solos Texturas médias a pesadas. Solos ricos em matéria orgânica e com boa drenagem. pH 6.0-7.0. Planta moderadamente sensível aos sais do solo (salinidade máxima de 3-5 mS/cm).e relativamente tolerante ao excesso de sódio.
Necessidades de água 400 a 600 mm após o transplante. A floração e crescimento dos frutos, são os períodos de maiores necessidades.

Fertilização

Extracções (kg/ha) N: 140-200, P2O5: 20-60, K2O: 150-300, MgO: 20-40, CaO: 130-300, SO3: 75, B: 3.1, Cu: 0.15, Fe: 2.9, Mn: 0.3, Zn: 0.35.
Nutrientes secundários e micronutrientes mais importantes Cálcio, Magnésio, Boro, Ferro, Molibdénio, Zinco.
Adubação de fundo Produção esperada de 100 t/ha

Quanto menor a fertilidade do solo maior deverá ser a adubação.

No caso do sistema de rega com fertirrigação, deverão aplicar-se cerca de 30% das doses indicadas.

Azoto – 70 a 120 kg/ha.
Fósforo – 180 a 240 kg/ha.
Potássio – 200 a 300 kg/ha.

Exemplo: NERGETIC 10-10-22 – 600 a 1500 kg/ha.

Adubação de coberturaProdução esperada de 100 t/ha

Azoto – 120 a 170 kg/ha.

Exemplo: NERGETIC 30 ZIMACTIV – 400 a 600 kg/ha.

Fertirrigação Produção esperada de 100 - 120 t/ha

As doses semanais indicadas deverão ser repartidas por várias regas, evitando-se misturar os adubos e dissolver mais de 2 g de adubo por litro de água de rega.

Se for de recear uma carência de magnésio, dever-se-á aplicar desde o vingamento dos primeiros frutos até ao início da colheita, 2 g/ m2/semana de Sulfato de Magnésio.

Após a transplantação: 5 a 10 kg/ha de Azoto, 20 a 30 kg/ha de Fósforo.
Exemplo: NUTRIFLUID 8-24-0 – 100 a 200 kg/ha.

Até à floração: 100 a 140 kg/ha de Azoto, 60 a 80 kg/ha de Fósforo, 60 a 80 kg/ha de Potássio.
Exemplo: NUTRIFLUID 12-6-6 – 800 a 1200 kg/ha

NUTRIFLUID 8,6-0-0 + 15% CaO – 150 a 200 kg/ha.

Durante a formação dos frutos – 30 a 40 kg/ha de Azoto, 25 a 60 kg/ha de Fósforo, 80 a 120 kg/ha de Potássio.
Exemplo: NUTRIFLUID 4-4-12 – 600 a 800 kg/ha.

No acabamento dos frutos: 50 a 80 kg/ha de Potássio.
Exemplo: NUTRIFLUID 0-0-14,5 – 300 a 500 kg/ha.

Fertilização foliar

Até ao início da floração (2-3 aplicações):
PROFERTIL – 4 l/ha e/ou TECNIFOL 12-4-4 – 5-8 l/ha.

Após o vingamento dos frutos (3-4 aplicações):
PROFERTIL – 4 l/ha e/ou TECNIFOL 3-8-11 – 5-8 l/ha.

Notas

O excesso de azoto provoca um desenvolvimento vegetativo exagerado, prolongamento da floração, deficiente vingamento dos frutos, escalonamento da maturação e menor resistência dos frutos à sobrematuração.

O fósforo intervém principalmente no desenvolvimento radicular, concentração e precocidade da floração e maturação dos frutos.

O potássio aumenta a qualidade dos frutos (Brix, cor e resistência ao transporte) e aumenta a resistência aos problemas fitossanitários.

A carência de cálcio provoca a conhecida podridão apical, principalmente se associada a uma irrigação deficiente.

A carência de magnésio pode estar associada a uma absorção excessiva de potássio, problema que se agrava nos dias de baixa luminosidade.

Unidades fertilizantes recomendadas expressas em: Azoto – N; Fósforo – P2O5; Potássio – K2O.

As doses recomendadas são para as produções referenciadas, devendo sempre ser ajustadas em função das análises efectuadas ao solo, variedades das culturas e à experiencia local na utilização de adubos.

© ADP Fertilizantes 2020 | Todos os direitos reservados